31o. post – MC de 13 de janeiro de 2008

14 jan

feeling-preety.jpg

No início da Conexão Esperança, Lucas rodou e avisou: Hillary e Obama continuam no jogo. Ela chora e ele não cuida da dentadura da avó, mas entre estratégias e respostas mineiras, a geladeira derreteu. Diogo tentou falar alguma coisa, mas não deu para entender: a cabeleira abafou o som. Além disso, a falta de luz no estúdio e de um pouco de maquiagem no rosto do Diogo produziram uma imagem perturbadora. Nunca vi um homem tão bonito parecer tão feio. E já que estamos falando em aparências: a gravata do Lucas estava torta… não tinha ninguém para avisar? A do Caio era linda e estava retinha – mas com um nó inadequado. Ricardo, o mais bem vestido, deu a dica de investimentos: comprem ações de bancos americanos – eles não vão para a cucuia como o Kenia. Enquanto isso, Berlusconi assumiu a função de secretário e passa o dia no telefone agendando testes do sofá.

No segundo bloco, uma pesquisa sobre a esperança diz que aceitar o presente dá futuro – bem, pelo menos foi esta a conclusão do Lucas. E o Brasil bombou na imprensa, em uma matéria do The New York Times sobre o petróleo, em um artigo da The Economist sobre as vovós de Ipanema e em uma reportagem do Miami Herald sobre a queda da violência em São Paulo.

A seguir, precaução e paranóia na campanha See something, say something. O medo transformou todo mundo em dedos-duros, e quem não é informado é informante.

No último bloco, Lúcia foi aos Hampton´s com uma câmera na mão e uma idéia na cabeça e peneirou o lado artístico e cultural das praias que valem ouro em uma matéria que deu água na boca e vontade de pegar o primeiro avião para
lá – apesar da blusa marrom. No cinema, Juno, o novo filme de Jason Reitman. Escrito por uma ex-stripper e ex-publicitária que se auto-denomina Diablo Cody, o filme mostra uma ‘gravidez real’ e virou um acontecimento familiar nos EUA. Só espero que ele não seja lançado no Brasil com o nome de Olha
quem está falando – a missão, ou algo parecido. Para ver o site oficial clique aqui, parta ver o trailer clique aqui. No final, Lúcia soltou um basfond e mostrou que aqüenda o bajubá fluentemente. Arrasou!

O programa estava com o humor em alta e foi sem dúvida o melhor dos últimos tempos. Entre cronômetros muçulmanos, piadas de judeus, bracholas e lingüiças, rendeu altas gargalhadas. Temos esperança de que os próximos sigam o mesmo estilo!

Este blog não é responsável pelas palavras aqui escritas.

Fórum da semana: Esperança é uma fraqueza ou uma virtude? Lúcia foi a mais filosófica: “A esperança não é nem virtude nem fraqueza. Também não é sinônimo de escapismo. É algo que ajuda a enfrentar a vida e a certeza da morte.”

(E lembrem também do sub-fórum: o que o rabino disse para o Obama?)

Músicas e locais da semana: 1 – Vídeo ‘John Edwards: feeling pretty’. 2 – Exposição Bravo! From Dominick Botticelli to Marisa Vidigal, no New Century Artists. Música: So nice so smart, com Kimya Dawson. 3 – Loja da Apple na esquina da 14th com a 9th avenue. Música: Who´s gonna help a brother get further, com Allen Toussaint e Elvis Costello. 4 – (Boa noite) – Filme: Terapia do amor. Local: Restaurante Prune. Música: Isn´t this a lovely day, com Stacey Kent.

Página inicial do fã-clube do Manhattan Connection.

19 Respostas to “31o. post – MC de 13 de janeiro de 2008”

  1. Diogo estava mesmo com uma cor feia. Deve ser o clima da cidade suja. (Nápolis, a cidade, parece, mais suja da Itália). Gratava bonita? Não lembro de olhar gravata. A reportagem na cidade litorânea
    Hampton´s. Linda. Aliás, tudo naquela país é lindo e divino.
    Lucas tem casa lá.
    A paranoia “see something, say something” é mais que válida.
    Liliane

  2. claudia :-) às 10:01 #

    Adorei a idéia do sub-forum.
    Vou dar minha resposta.
    O que o rabino disse para o Obama?
    R= Ô bama dura bra dêidá. Zai bra lá Obama porgue goluna dá doendo!

  3. claudia :-) às 17:41 #

    SACANAGEM PURA! Prohrama de 13/01/08

    O machista Caio tenta, tenta, tenta e não consegue explicar o motivo que fez Hillary ganhar a última prévia.

    Com inveja de tamanho besteirol surge DM dizendo que Hillary teve votos de mulheres mães solteiras, pobres, dependentes do Estado, etc… E dá-lhe mais pérolas. Pena serem daquelas tortas, esquisitas e sem graça que não servem nem para um anelzinho de doce. O hômi deve estar com hepatite ou então, tomando suco de maracujá em excesso. Completamente amarelo! Até passei uma flanelinha na tela da TV, mas DM estava muito amarelo mesmo.

    Ainda sobre Hillary Lucas pergunta quem vence em Nevada. Não sei quem vence, mas deveria dar uma nevada da boa na cabeça do Caio. Neve produz paralelepípedo?

    Ricardo orienta: Invista em ações de bancos americanos. Depois de correr um risco e tanto, o lucro será seu. Pode ser que o prejuízo também seja seu. Pode ser também que vc se ferre de tal forma que as despesas pela forca sejam suas.

    MMN – Modelo Maluca Naomi – passou ou não pelo sofá de Chávez? Qdo o assunto foi mulher no sofá a Macharia delirou. Essas pérolas dariam um colar. Torto, mas daria. Deveriam ir todos para cucuia!

    E aquele SER usando laquê? Fala sério hein. DM com laquê nas sobrancelhas e ele nos cabelos. O duro é que continuou esquisito.

    “…O pior é apenas passageiro…”, mas a Macharia continua dando. Deu pra entender? Deu pra isso? Deu pra aquilo? “…Não podem defecar…”, “…esperança anda na garupa…” – Lucas falou isso. Piada pronta. Vou fazer de tudo pra não escrever as sacanagens que passaram pela minha cabeça. PLAFT! Minha mão esquerda batendo na direita para não escrever sobre o assunto. PLAFT! PLAFT!

    Lucas deveria escrever um livro sobre endereços de NY. Sabe tudo do assunto! De preferência publicar somente na Argentina. O que um ponto eletrônico não faz?

    “…Quem dedou quem?…” pergunta Lucas. PLAFT! PLAFT! Minha mão está roxa.

    Qual a diferença da propina brasileira da italiana? O sexo, claro. Lá é PIZZO e aqui é PIZZA.

    Lucas faz sinal de vai-e-vem com as mão e Caio responde “lingüiça”. PLAFT! PLAFT!

    Sexo, pizza… programa pesado, não? O rock aparecerá mais abaixo.

    As previsões no estilo MI ZIFIU continuaram no programa desta semana. A China vai ganhar as Olimpíadas, Obama vai ser presidente, etc…

    E a discussão segue. Afinal, o Nano está ou não está enveneNANO? Para Ricardo o carrinho(feito exclusivamente para os que pulam em corredor de supermercado que tenha prateleira de 1,70m de altura), não envenena nada.

    Da praia deles só me resta dizer óóóóóó, que cachorro fofo!

    NINGUÉM MERECE: Lúcia sugerindo que se vá pra Hampton’s para, quem sabe, encontrar Sir Paul – aqui está o rock – num bar. Poderia ser o Sean Paul? A música dele é legal.

    GLOBO DE OURO: Ricardo e suas dicas de investimento. Ouro Puro!

    GLOBO DE ZINCO ENFERRUJADO: Caio. Mostrar interesse pelas vovós de Ipanema explica tudo.

    GLOBO AMARELO HEPATITE: Diogo e seus 400 testes de xixi. Camisinha que é bom…

    COLÍRIO: Lucas. A beleza se revela qdo menos se espera.

  4. Gerana Damulakis :-) às 23:28 #

    Muito bom, Cláudia. Inspiradíssima. Não resta dizer mais nada: está tudo dito. Resta enfatizar: aquela sobre a praia, realmente é para exclamarmos “que cachorro bonitinho!”. Enfatizo igualmente o machismo reinante, foi excessivo desta vez. Hoje eu estava conversando sobre a sorte de não ter nascido nos anos em que a mulher só tinha como perspectiva ser dona de casa. Eu dizia: o pior é que nós, às vezes, temos até a impressão que somos sortudas por não vivermos na era do machismo: mulher em casa, tratando do jantar, homem na rua galinhando. Qual nada! Eles mostraram que continuam vendo a mulher de uma maneira muito torta, principalmente quando se trata de conseguir alguma coisa. DM amarelo estava ótimo, detestei (e olhe que eu me amarro na irreverência dele) o lance dos testes de paternidade. Nem é preciso me estender mais: Cláudia deu o tom certo do que foi o programa.

  5. marcosalexandre :-) às 0:35 #

    E eu continuo a me impressionar como as pessoas vêem as coisas de maneiras tão diferentes…

    A matéria da Lúcia, eu AMEI. Ela filmou tudo ela mesma, o texto estava perfeito, e o lugar era um charme. Nunca fui aos EUA, mas sempre tive vontade. Ver aquela matéria meu deu água na boca… acho que é como um bom cozinheiro ver um programa de receitas… hehehehe.

    Revendo o programa nesta segunda-feira, percebi algumas piadinhas que talvez possam ser consideradas machistas, mas nada tão sério como vocês (Gerana e Cláudia) acharam. Talvez por eu ser homem, e por minha mãe sempre ter trabalhado fora e sustentado a família inteira, não consigo ver a mulher como capaz de ser frágil ou subjugada.

    Ou seja, as experiências de cada um influenciam na sua interpretação do que as outras pessoas dizem/fazem, não é? Acho que é por isso que dizem que “é impossível agradar a todos”.

    Continuem postando as suas impressões/interpretações, isso só enriquece a nossa “conexão”… e vocês, visitantes que estão lendo os comentários mas não escrevem, animem-se, façam como a Cláudia e a Gerana e digam o que acham do programa :-)))

    Marcos

  6. MariaLucia :-) às 2:15 #

    nao quero ser repetitiva mas realmente os comentarios do caio sobre a senadora clinton tem sido de muito mau gosto e ate mesmo machistas. primeiro a chamou de “frigida” e no ultimo programa ficou fazendo piadinha porque ela ‘quase’ chorou. adorei quando o ricardo perguntou porque quando a hilary chora eh ruim mas quando e o bush eh uma boa. a falta de resposta do caio falou tudo.

  7. Felipe Svaluto Paúl :-) às 2:18 #

    Marcos: sigo seu conselho, me animo e escrevo para reclamar novamente da porção cinéfila do programa: que análise foi aquela de “Juno”? Quer dizer que a garota fica grávida nos EUA e o filme não traz absolutamente uma única palavra sobre aborto?? Aparentemente não traz, pois não ouvimos menção a isso nem na narração do Lucas nem nos comentários posteriores dos outros manhattans. Se não traz, o filme é lixo – a possibilidade de aborto é parte fundamental da cultura americana em relação à gravidez, seja para apoiá-lo, negá-lo peremptoriamente ou muito pelo contrário. Se fala e os manhattans ignoraram a coisa, mostram novamente – Lúcia à frente, já que ela é a principal responsável por essa parte do programa – como comentam mal e porcamente qualquer filme que apareça por lá. Deus, o aborto é simplesmente um tema fundamental da… eleição presidencial americana, que o Manhattan tanto analisa! Enfim, talvez o tempo dedicado aos filmes – sempre curtíssimo – seja a explicação última para a coisa. Ou talvez eu seja apenas muito chato mesmo hehe… Mas realmente não dá para ignorar isso: na pior das hipóteses para o meu argumento – o filme ignorar totalmente a questão -, os manhattans deveriam pelo menos falar isso, afinal é dado relevante que um filme americano ignore tema tão caro à sociedade daquele país.
    Abraços!

  8. claudia :-) às 7:37 #

    Gerana,
    Sabe o que mais me deixou indignada neste pograma? As opiniões da Lúcia sobre a MULHER que escreveu o roteiro de Juno. Por mais que o filme seja amarrado, ela fez questão de dizer mais de uma vez que a moça tinha sido stripper, que viveu na “marginalidade”. Marginalidade? O comentário não me passou ser sobre alguém que viveu às margens do que a sociedade acha certo, mas de uma pessoa que poderá fazer Jesus descer na terra e salvá-la que seu comentário será sempre o mesmo: Agradeço fulana, ex-stripper e ex-marginal, por ter salvado minha vida!
    Caramba, falasse uma vez sobre isso e depois ficasse quieta ou falasse apenas do filme. A falta de se falar também sobre o lado bom das coisas e pessoas me incomoda mesmo. Pra mim é preconceito. Qto aos comentários da MACHARIA de plantão a gente releva, pois sabemos que eles nos amam e não vivem sem uma mulher ao lado.

    Marcos,
    Eu também achei a matéria da Lúcia muito boa. Gostei muito dos locais mostrados e achei o máximo qdo ela disse que fez a matéria com uma mão ao volante e outra na filmadora. Ela tem bom gosto e visão na maioria de suas matérias. Meu “óóóóóó, que caozinho fofo” foi pq acho que a água devia estar super gelada. Meu “Ninguém Merece” é pq n gosto dos Beatles.
    Ela passou alguns dias no Brasil e nem fala do país. Pq vou ficar enchendo a bola do litoral americano se temos o Litoral Norte de SP que é muito mais lindo? O Lucas, pelo menos, diz que a água de Araxá é envenenada e ainda vai pra lá…rs. Caio e Ricardo sempre falam do Brasil. DM? DM não conta. Acho que deve ser bipolar…rsrsrs. Escrevo em primeira pessoa mesmo.

    :0]

  9. marcosalexandre :-) às 10:44 #

    Várias respostas em uma só:

    MARIA: pelo que eu me lembro, o Caio respondeu sim. Ele disse que não era ruim a Hillary chorar, e que vários presidentes homens choraram (Carter, Reagan, Clinton). Eles pegaram no pé na Hillary porque as lágrimas dela, no contexo, pareceram demagógicas. Pelo menos foi isso que entendi. Alguém concorda?

    FELIPE: ótimo insight!! Eu não sei se o filme fala em aborto ou não. Mas, se não fala, deveria mesmo. Porém, acho que ele não deve ser um filme puritano, nem que seja contra o aborto. Mas teremos que esperar para ver, né?! De qualquer forma, estou curioso… e no mínimo o filme vai ser ótimo por reunir a dupla pai-filho de Arrested Develoment outra vez… morro de saudades deles!

    CLÁUDIA: a Diablo Cody não é uma stripper “comum”. Era executiva bem sucedida de uma agência de publicidade, e começou a ser stripper por brincadeira, com o apoio do marido. Com o tempo, gostou mais do hobby do que do emprego, e passou a ser stripper full-time. Mas ela já era escritora, formada em Universidade, apareceu na revista People como uma das pessoas mais “espertas” dos EUA… não tem nada a ver com o clichê da stripper que não gosta da profissão, que se obriga a isso como forma de sustento e que necessita de “salvação”… na verdade, ela é bem o contrário de tudo isso!

    Continuem comentando… :-)))

    Marcos

  10. claudia :-) às 10:59 #

    Marcos,
    Ok. Vou mudar a frase do agradecimento da Lúcia…rs
    “Agradeço fulana, ex-stripper, ex-marginal,ex-executiva bem sucedida de uma agência de publicidade e que gostou da “coisa”, por ter salvado minha vida!”

    Faz 07 anos que perdi minha identidade e me tornei “irmã” de fulano. Tudo que faço tem de ser muito, mas muito bom mesmo, pq sempre haverá o “ah, ela é irmã de fulano!”. Isso é muito chato, cansa e é real.
    Nunca tinha ouvido falar da D. Cody…rs

    O BLOG está ótimo!
    :o]

  11. Gerana Damulakis :-) às 0:27 #

    Marcos: nada contra a mulher que é dona de casa. Tenho pena é daquelas que viveram uma época em que só podiam ser isso. A minha mãe é dona de casa e não vejo depreciativamente, mas gosto muito de ser dona do meu nariz, além da minha casa,daí ser impossível para uma mulher nos dias de hoje ouvir as barbaridades machistas que só podiam ser ditas nos tempos em que eles bancavam tudo e, assim, “desbancavam” as mulheres como seres. Elas eram depreciadas: as piadinhas do Caio serviam como uma luva. Atualmente não tem cabimento essa atitude machista.

    Cláudia: foi pela mesma razão que a sua que enfatizei o lance do cachorro ser bonitinho. Eu moro em Salvador, praias lindas por extensões fantásticas. Não preciso olhar uma praia americana. Você tem o litoral de SP e também não precisa de praia americana. É demais. Por que todo brasileiro que mora nos EUA fica daquele jeito? Será que lá no fundo, a empáfia não é, na realidade,para encobrir algum outro sentimento, que seria o exato oposto do mostrado?

  12. marcosalexandre :-) às 9:03 #

    Oi Gerana, o Caio deve ser desta época em que as mulheres eram mais “desbancadas” mesmo… mas é tudo ironia. Ele não é machista, não é preconceituoso, é super cabeça-aberta. Pelo menos é esta a impressão que eu tenho.

    Ah, eu moro no litoral de Santa Catarina… as praias mais lindas do mundo… hehehehehe… até o Diogo iria acha-las lindas…. hehehehe. Mas Hampton´s tem seu charme. Pode não ser a praia mais linda, mas tem uma história cultural super charmosa.

    Quanto aos brazucas que moram fora e ficam “daquele jeito”… olha, não sei, mas sempre lembro da história do Paulo Francis sobre porque ele foi morar nos EUA. É mais ou menos por aí.

    Marcos

  13. claudia :-) às 12:56 #

    Gerana…
    Não sei pq eles ficam daquele jeito qdo vão p os EUA, aquele país falido. Outro dia entrevistaram um panaca de 27 anos e dono de uma empresa chamada MINT. O papo corria e ele quis dar um exemplo. Acabou citando o joguinho PLAYMOBIL! Perguntou se nós tínhamos ou conhecíamos isso por aqui.O repórter nem respondeu. Claro que NÃO temos Playmobil por aqui. Estão todos em campanha nas ruas dos EUA. Fiquei sabendo que vão fazer campanha de NANO!
    Bjo

    *PS* O litoral Norte paulista é o mais lindo do mundo…rs. Só pra constar.

    *PS2* Saio de férias por alguns dias na segunda, dia 21. Vou sentir falta de vcs e do MC. Qdo voltar posto minhas fotos na minha pg e vcs me dizem qual praia é a mais bonita…rs Fuiiiiiii

  14. Gerana Damulakis :-) às 17:58 #

    Legal esta idéia das fotos de praias. mandarei uma de cartão postal: o Porto da Barra. Nem irei para Sauípe, que é uma grande moda.
    Cláudia: quando eu fazia pós em Madrid, minhas colegas me perguntaram se eu não estranhava tanto edifício junto. Juro que é verdade. Só conheciam do Brasil os jogadores de futebol e não acreditavam que eu era brasileira só porque não sou negra.
    O sentimento dos que vivem nos EUA é mais complexo, tem ligação com conflitos gerados pelo exílio. A Europa talvez não gere tanta contradição interior, afinal nossas famílas vieram de lá e, historicamente, isto ainda está muito perto. A minha é da Grécia: antes de morrer meu avô, eu escutava grago normalmente. Bom, são outras histórias. Estou aqui escrevendo e escrevendo por causa de Cláudia que convocou os blogueiros fãs do MC.

  15. claudia :-) às 20:47 #

    Algumas perguntas que eu gostaria que os MCs respondessem antes de eu viajar, dia 21/01, pois vou ficar longe de vcs.

    PARA O CAIO: Vc concorda que se a refém que teve um filho com um guerrilheiro das FARC e libertada alguns anos depois morasse nos EUA, a essa hora estaria sentada numa cadeira em frente a um monte de agentes questionando e pressionando sobre o pq dela ter tido um filho com um bandido, já que hoje ela diz que as FARC são bandidos? Sim ou Não e dê o motivo, please.

    PARA DIOGO: Os guerrilheiros das FARC devem passar por uma lavagem cerebral e sabemos que isso não tem volta. Concorda que uma invasão de um exército formado pela união de alguns países seria uma boa solução para acabar com o sofrimento dos sequestrados ou imagina algo diferente?

    PARA LUCAS: De onde vc acha que vem esse modo extremamente emocional de agir e pensar do brasileiro? Pq é tão difícil um brasileiro saber “filtrar” uma informação antes de se sensibilizar tanto a ponto de falar/fazer besteira?

    PARA RICARDO: Da noite para o dia o Citigroup informou um prejuízo de U$10bi. E isso aconteceu no país da liberdade de expressão americana – tão enfatizada sempre – eqto outro banco, que n me recordo o nome, informou um lucro de pouco mais de 30%. Pq é tão difícil sabermos o que os bancos fazem com nosso dinheiro a ponto de dormirmos tranquilos e acordarmos falidos?

    LÚCIA: Um promotor da cidade de SP apresentou uma solicitação de fechar, literalmente, o MASP. Roubo de obras de arte n acontece apenas no Brasil. O que há de mais novo em termos de segurança que possa ser adaptado à nossa realidade, pois soubemos a pouco tempo que nem o Louvre tem seguro?

    PARA TODOS: Oscar Niemeyer planejou uma biblioteca em Brasília que emprega um monte de gente e, segundo um jornalista, gasta aproximadamente R$30 milhões/mês para mantê-la aberta. Detalhe: Não tem um livro sequer lá dentro. Implodir o prédio seria uma opção em comemoração aos 100 anos de Niemeyer?

  16. claudia :-) às 23:06 #

    Gente, estou doida?
    Estava assistindo um programa sobre as FARC na Globo News agora a pouco. Um entrevistado, que parece saber muito sobre o assunto, disse que um guerrilheiro só se relaciona com uma guerrilheira. Caso nasça uma criança, após dois anos é levada para a cidade e criada por um conhecido, mas tem de ser filho de guerrilheiROS – isso aconteceu com Emanuel.
    É extremamente proibido um guerrilheiro se relacionar com uma civil. Eles têm medo que isso enfraqueça o movimento.
    COMO EMANUEL NASCEU?
    N sei pq, mas qdo vi essa mulher, mãe do menino, abraçando e beijando uma guerrilheira, como que se despedindo, já n gostei.
    Pq ela foi afastada da candidata a presidente e depois teve um filho? – é o que ela diz.
    Está muito estranho isso.

  17. claudia :-) às 15:50 #

    Gerana,
    Foto de cartão postal n vale pq tem photoshop. Tem que ser uma que vc tirou.
    Acredito sim que tenham te pergunatado sobre os prédios.
    Um casal amigo foi morar nos EUA – California – por dois anos. Ele, astrônomo, foi fazer pós doutorado numa universidade bem famosa de lá. Um aluno perguntou a ele se existia geladeira no brasil! Sua esposa, que fazia parte de um curso que as esposas dos estudantes faziam, n se conformou qdo uma TAPADA lhe perguntou se ela conhecia celular. Sua resposta veio mais tarde.Qdo ela veio ao Brasil, saiu de S.J.Campos, foi a SP, fotografou a Av Paulista de vários angulos; as lojas da Oscar Freire; os shoppings, etc. Fotografou o INPE e vários lugares de SJC. Revelou as fotos, montou um álbum gigante com muita coisa que já tinha e com as que tinha tirado. Imprimiu os textos explicativos que fez e colocou-os perto de cada foto. Comprou um mapa do Brasil grande. Qdo chegou lá pediu que todas, inclusive a professora, dessem uma olhada no álbum. Depois colocou o mapa do Brasil na parede e deu uma aula sobre onde estava o que elas tinham visto. Mostrou onde ficava a amazônia no mapa, pois achavam que o BR era uma amazônia grande. Ela disse que a mulherada n acreditava que temos lojas de grifes no BR. Que qdo viram as fotos da paulista e do MASP ficaram de boca aberta. Dos engarrafamentos de sp então…
    Devemos perdoar os ignorantes, pois realmente eles n sabem o que dizem…rs

  18. marcosalexandre :-) às 17:51 #

    Adorei a idéia do álbum para mostrar as fotografias do Brasil!! Já soube de europeus que, de viagem marcada para cá, compraram botas enormes, para evitar que as cobras os picassem na rua. Se isso tudo fosse há uns 50 anos, tudo bem… mas hoje em dia, com internet e informação à vontade, ‘dá uma reiva dessa inguinorança’…

  19. claudia :-) às 22:54 #

    Os americanos são os piores. Falam apenas um idioma…rs.
    E esperar o q de uma amiga de sangue quente, muito criativa e que o tabelião errou o nome logo no registro, qdo nasceu. Era pra ser MariLEne, nome da mãe. Por sorte acabou sendo MaRILne(maríune)…rs. Ela é doida.
    Metia a boca nas turistas portuguesas que guardavam as bolsas qdo ouviam ela falando português com o marido.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s