45o. post – MC de 13 de abril de 2008

14 abr

A Conexão que não cria limo começa falando sobre a tocha olímpica que é uma brasa, mora?, e além de humilhar o governo, é um espetáculo aborrecido. Vem mais chiadeira e monges nudistas por aí. Na Itália, deu Berlusconi na cabeça em uma eleição que tem uma boazuda e um partido comunista sem comunismo. No Zimbabwe, há pressão para derrubar o estorvo, e temos que respeitar o pessoal que está levando pancadas de todos os lados. E na Venezuela, quem se ferra são os argentinos que perderam a indústria siderúrgica. Enquanto isso, o papa tosco Bento XVI faz sua primeira e empobrecida visita aos Estados Unidos para ajudar na campanha de John McCain. Ele não vai passar na paróquia da pedofilia, mas vai falar sobre o aborto e tentar causar um choque de civilizações – pelo menos entre as ovelhas negras e os mórmons do Texas.

[pausa para o momento styling: Ricardo, o gatão, novamente fez a linha da amiga milionária Márcia Tiburi, e arrasou no estilo preto e branco com uma moderna gravata de bolinhas que deu um toque extra de elegância. Diogo, o gatinho, não cortou, mas penteou o cabelo muito bonitinho e comportadinho. Ficou lindinho. Lucas estava com um terno que ganhou do Hugo Estenssoro, mas a gravata estava chiquérrima. A barba do Caio está ótima, e a combinação terno cinza + camisa branca + gravata vermelha de bolinhas, apesar de repetida é infalível, e deixou o barbudinho do PT chique e moderno. Lúcia apostou – e acertou – no black is beautiful. Se o Oscar de melhor figurino fosse só para a gravata, iria ser divido entre o Ricardo e o Lucas. Se fosse só para o cabelo, iria para a Lúcia e o Diogo. Então esta semana ele vai para o Caio, pelo conjunto da obra]

No segundo bloco, o convidado Laurentino Gomes, o homem que ficou rico com a história do Brasil. O livro 1808 é o mais vendido, e ganhou uma edição portátil para ser lida no avião – em viagens agradáveis ou não. Segundo o autor, o livro é uma reportagem compreensiva que ajuda a compreender (pun intended) a corrupção e a criminalidade presente no DNA do Brasil – um país cuja independência não foi fruto de um desejo genuíno. Dom João era um pateta, mas sabia delegar e foi empurrando com o barrigão até o fim. Coitado do Caio, que ficou calado e aflito. É para isso que serve a história. E la nave va.

A seguir, outro barrigudo: John Adams, o segundo presidente americano. Ofuscado entre George Washington e Thomas Jefferson, o monarquista personagem do livro de David McCullough virou campeão de audiência na minissérie da HBO. O cara era ranheta e reclamão, e acreditava mais nas leis do que na natureza humana – mas tinha um talento tático e noção de país, pátria e democracia. Veja o site oficial da minissérie aqui, e trailers, making of, trechos e entrevistas aqui. Brasil na imprensa: Seth Kugel enfia o pé na jaca na reportagem Allure of cachaça spreads to U.S. from Brazil e no vídeo Cachaça straight up.

Para encerrar, Shine a light (site oficial aqui, trailer aqui), filme em que
Martin Scorsese e outros oscarizados capturam dois concertos dos Rolling Stones. Tudo começou com o filme Mean streets, de 1973 (lançado no Brasil em DVD com o nome de Caminhos perigosos). Hoje o pessoal é todo  sessentão, mas a turma sabem usar o tempo a seu favor. O resultado não é um documentário, mas uma celebração da performance cheia de paradoxos filosóficos. Lucas Mendes prefere os Beatles.

Músicas e locais da semana: 1 – South Pacific no Vivian Beaumont Theater. Música: original do espetáculo. 2 – Exposição MURAKAMI no Brooklyn Museum. Música: Graceland, com Paul Simon. 3 – Livro: Desfeito e Refeito, de Cristiano Mascaro. Música: Happiness, com Goldfrapp. 4 – (Boa noite) – Filme: Across the universe. Local: Katz´s Deli. Música: I´ve just seen a face, com Jim Sturges.

Fórum da semana: Quem foi o maior personagem da história do Brasil? Caio e Lúcia escolheram Dom Pedro II, Ricardo indicou Pelé, Lucas ficou com Getúlio Vargas e Diogo com Caramuru. Eu escolheria Carmen Miranda.

Bônus da semana: Jumping Jack Flash, antes da melancolia.

* * * * * * * * * * * * * * *

Parabéns, Alfredo :-)

* * * * * * * * * * * * * * *

Página inicial do fã-clube do Manhattan Connection

9 Respostas to “45o. post – MC de 13 de abril de 2008”

  1. Renata :-) às 14:29 #

    Mais uma vez ficou constatado que o programa está curto. A discussão sobre o livro 1808 teve que ser abruptamente finalizada. Pelo próprio estilo do programa é impossível que os convidados tragam assuntos que não dêem “pano pra manga”, ou seja, pelo menos mais uma meia horinha seria suficiente para que o Laurentino concluisse sua frase e o coitado do Caio pudesse emendar seu comentário gran-finale.

    De onde saiu aquele terno do Lucas? Melhor deixar pra lá…

    Aliás, será que eles (os MCs) acompanham nosso blog? Eles lêem nosso momento styling, entre todos os outros comentários?Ops….

    Abraços a todos e boa semana.

  2. cláudia :-) às 16:27 #

    Gostei muito do programa, a começar pela abertura.
    Êita pessoal metido. Estão lá nas alturas agora! Lindos!

    Amo Mangá. Amei o Mangá da “peituda” – garanto que tem mulher que levou a imagem para o cirurgião fazer igualzinho com silicone – as bolsas, aquelas coisas cafoninhas muito coloridas e que iriam ficar lindas numa parede branca, tudo daquele lugar do Brooklyn ao som de Graceland. É no Brooklyn que estão os novos roqueiros bacanas. Queria ir pra lá.

    A entrevista com o autor de 1808 foi ótima, mas dessa vez precisava de um tempinho maior, pois qdo o assunto é bom passa tão rápido que nem sentimos. E foi assim. Valeu cada minuto, mesmo tendo tirado do vídeo por mais tempo os lindões do MC.
    Por falar nisso, qual o segredo do Ricardo e do DM heim? Que lindos ontem. ai ai…

    De cachaça não entendo nada, mas posso dizer que as cx de Vinho do Porto do Abadia foram disputadas a tapas.

    E por falar em tapas, ou deixam o caio falar, ou vão levar uns tapas qualquer dia desses. Como cortam o barbudinho que fica melhor sem barba. Tire a barba, Caio!

    Stones+Scorsese= Shine a light! Melhor estraga.
    São sessentões de fazer cair o queixo de reles mortais como eu. Jagger é sensualidade em pessoa.

    O maior personagem do Brasil, pra mim, foi OSWALDO CRUZ.

    VINHO DO PORTO:LUCAS. Sempre uma referência.

    ABSINTO:DIOGO. Em gdes doses, pode levar à loucura. AI AI

    ÁGUA DE FLÔR DE LARANJEIRA:CAIO. Leve, mas de gde efeito.

    CHABBLIS:RICARDO. É rijo, mas não rude. Um Lord.AI AI

    MANHATTAN:LÚCIA. Chic e clássico.

  3. cláudia :-) às 20:28 #

    Olha que coisa estranha!

    Sonhei com Diogo e Ricardo.

    Estávamos os 3 em uma RAVE. Muita gente na fazenda que costuma fazer essas festas aqui na minha cidade. Era um descampado enorme.
    Várias pessoas, todas com o mesmo tom de pele da de um amigo que mora no Suriname, é indiano e estudou em São Carlos. Parecia que todos eram o Anandicie, meu amigo.

    Lembro-me de Ricardo e Diogo rindo juntos, pulando no meio daquele povo todo.

    Quando estava tirando uma foto deles, Diogo percebeu e veio correndo pra pegar minha câmera. Conseguiu tirá-la de mim e começou a dizer que Canon é porcaria. Que boa era a dele. Guardou minha câmera em uma bolsa própria, preta, com meu nome completo escrito nela e pendurou-a no meu pescoço dizendo para fazer como ele, mostrando uma outra bolsa com máquina fotográfica dentro pendurada em seu pescoço.

    Do nada me convidou para ir com ele e Ricardo para o meio do povão.
    Ficamos os 3 pulando bem perto do palco. Ricardo cantava todas as músicas. Eu não sabia nada.
    Começaram a nos empurrar e Diogo passou seu braço por cima do meu ombro pq já estavam me arrastando para longe. Ricardo fez o mesmo, só que do outro lado, me deixando entre eles.

    Em vez de ficarmos quietos, começamos a ir pra cima do pessoal como se fôssemos um paredão. Nós 3 estávamos de bermudas e tênis. Roubaram nossas máquinas.

    Começou a chover forte. Nos separamos e me vi dentro de um ônibus verde, lotado de pessoas usando capuz preto.
    Perguntei ao motorista se alguém tinha entrado com 02 câmeras fotográficas e ele me mostrou uma menina(criança), que tirou o capuz e me devolveu as câmeras.

    Pulei do ônibus e voltei para a fazenda, que já estava vazia. Completamente molhada, entrei em um prédio que tinha diversas carteiras escolares. Entrei, fechei várias janelas com as persianas e tranquei a porta por dentro, com chave. Depois de ter trocado a blusa – que apareceu n sei de onde – entrou Diogo e disse que tinha se apaixonado pelas minhas costas.

    Devolvi sua câmera e disse a ele que era igualzinha à minha Canon. Ele disse que sabia, mas a dele era melhor. Ricardo não apareceu mais no sonho.

    04:10h meu despertador tocou, pois me esqueci de mudar o horário que acordei na última sexta, qdo fui pra São Paulo a trabalho.
    Acho que estava passando ou iria passar o MC no GNT. Nem assisti. Coloquei na MTV, programei a TV para desligar depois de 15 min e meu despertador para tocar às 06:20h.

    Coisa mais maluca.

    O pior é que o despertador me acordou qdo recebia elogios do Diogo. Nem em sonho!

  4. Ro :-) às 11:12 #

    Eu adorei a Lúcia para o Lucas, no momento Beatles x Rolling Stones: – O que é isso, Lucas!

  5. claudia :-) às 13:58 #

    Pessoal

    Com o silêncio do Ricardo ultimamente, vcs acham que ele está querendo ser criticado pra sair do programa?

  6. marcosalexandre :-) às 14:58 #

    Cláudia, como assim “silêncio do Ricardo”??? Ele está dando suas opiniões como sempre… no programa desta semana inclusive falou um firme “deixa eu acabar de falar!” para o Caio… não percebi silêncio nenhum, muito pelo contrário!

    Ah, e cuidado com aquele (a) fake da comunidade do MC no Orkut, é besteira perder tempo discutindo com esta pessoa com múltiplas personalidades…. hehehehe

    Marcos

  7. Renata :-) às 16:35 #

    Ahhh eu sabia…também achei o Ricardo mais calado. Parecia criança depois de tomar bronca.

    E depois do sonho da Claudia, meu sonho é morrer afogada numa banheira de CHABBLIS!!!!

    Beijos a todos

  8. cláudia :-) às 16:17 #

    Marcos,
    Tô alerta com o fake…hehehe. Vc viu q aumentou mais um?

    Sério q vc n achou ele quieto? Achei-o caladão.
    Antes, ele era mais participativo sem ter de ser chamado à pauta.
    Na verdade, acho q a cabeça dele deve estar a mil. Trabalhar onde trabalha, ter de driblar a crise america e ainda estar sempre lindo – cada vez melhor, n acha? – nào é uma tarefa fácil.

    Renata, cuidado.
    N quero ser “empata f…”, mas a esposa dele pode vir também. E o pior, te tira da banheira eficam somente os dois! :o)

  9. Renata :-) às 13:50 #

    É Claudia eu sei. Por isso que era um sonho, rsrs. Mas pensando bem se ela viesse, alguem tinha que segurar a rolha…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s