60o. post – MC de 20 de julho de 2008

21 jul

(aviso: o WordPress tem estado instável nos últimos dias. Se você não conseguir ver fotos e vídeos neste blog, por favor volte mais tarde)

A Bat-Conexão começa repleta de morcegos, lero-lero, sobe-e-desce e troca-troca. A família Mainardi chegou a NYC na corrida pelos bancos. O futuro acabou, e Diogo virou a Britney Spears – pelo menos em sua coluna desta semana. Enquanto isso, o roqueiro Barack Obama faz shows de baião na Europa com raça e religião – mas sem senso de humor: ele não gostou da capa da The New Yorker e nem da matéria Flip-Flop Flap. A demagogia era boa no começo – mas um político que se leva muito a sério é perigoso. No Sudão, os dirigentes delinqüentes criam um dilema atroz nos tribunais criminais, onde a busca pela justiça complica a busca pela valiosa paz. E Nelson Mandela, que contribuiu para a democracia multirracial e achou que a paz era mais importante que a justiça, completa 90 anos com uma contribuição do Caio: a coluna Parabéns a você, Nelson Mandela.

No segundo bloco, o documentário I.O.U.S.A. é a verdade inconveniente do subversivo Peter Peterson, que quer destruir o capitalismo doando 1 bilhão de dólares para despertar os americanos para os déficits da economia. Todo mundo quer tudo – principalmente os baby boomers que vão recolher os cheques da aposentadoria neste ano. Veja o site oficial do documentário aqui, e o trailer aqui. Brasil na imprensa: o mercado imobiliário está no Financial Times, e a compra da Anheuser-Busch pela InBev em todo o lugar – mas Sérgio Cabral só está na The Economist, na matéria Mending an icon – how Rio’s first good governor in decades is starting to renew Brazil’s most famous city.

A seguir, a virgem e o vampiro gatão ajudam a escritora mórmon Stephenie Meyer a sugar fama e fortuna. Seus livros têm pouco sangue e não têm sexo – mas têm a tensão erótica da literatura engajada do século XIX. Já que os meninos perderam o interesse pela pornografia grossa da internet, o que resta é a masturbação sociológica da paixão sem consumação – que é a fantasia da direita religiosa. A literatura é de menina e de mãe de menina – e vai até virar filme que estréia em dezembro. O site hiper compreensivo de Stephenie Meyer, com FAQ, playlist, bastidores dos livros e do filme e muito mais está aqui. Para ler trechos dos livros da série Twilight, clique nos títulos: Twilight, New Moon e Eclipse. Veja também o site do filme aqui, e o trailer aqui.

No último bloco, a mostra Premiere Brazil amplia os horizontes, e a entrevistada – e late bloomer – Denise Dumond fala sobre seu pai, o eclético e produtivo Humberto Teixeira (biografia do Dicionário Cravo Albin de Música Brasileira aqui). De Darwin a Hollywood, e de Miles Davis a Carmen Miranda, passando por Peggy Lee (que roubou a canção Juazeiro em 1951), o baião não sai da cabeça por pelo menos 5 dias seguidos. Com inspiração de Ana Jobim, Denise concluiu que o baiano com rojão pode ter 7 ou 9 vidas, influenciou o cancioneiro americano e está vivíssimo.

[pausa para o momento styling: Diogo chegou de Darfur e foi ao estúdio direto do aeroporto, com a camisa amassada – e o cabelo também. Tomara que nesta temporada em NYC ele abra a mão, compre pelo menos uma camisa nova e vá cortar o cabelo no barbeiro do Caio. Falando no Caio: que gravata chique, hein? Não era YSL, mas passou perto. A gravata amarela do Ricardo também era linda e fez uma ótima combinação com o paletó preto e camisa branca – pena que o microfone estava mal posicionado, deixando-a torta. O Lucas copiou a combinação terno escuro + camisa azul + gravata vermelha do Caio nas semanas anteriores: ficou super alinhado e era o melhor da bancada. Só não leva o Oscar de melhor figurino porque a Lúcia roubou a cena – e a estatueta – com aquela camisa estilo Isabela Capeto, com transparências e rendas dignas de uma personagem de Anne Rice]

Fórum da semana: Qual campanha você criaria para mudar a cabeça do brasileiro? O Caio não gostou da idéia e respondeu: “Eu economizaria o bilhão de dólares.” Mas eu criaria uma campanha muito interessante: Doe um bilhão de dólares para o Fã-clube do Manhattan Connection :-)

Músicas e locais da semana: 1 – Grupo Pilobolus no Joyce Theater. 2 – Filme Batman – o cavaleiro das trevas. 3 – Livro Cancioneiro Humberto Teixeira – biografia e obras escolhidas. Música: Baião de São Sebastião, com Luiz Gonzaga. 4 – (Boa noite) – Filme: Novo mundo. Local: Ellis Island. Música: Sinnerman, com Nina Simone.

Bônus da semana: entre morcegos e vampiros, minha primeira idéia foi colocar aqui um clipe do filme Queen of the damned, o melhor e mais sexy filme de vampiros feito até hoje. Mas achei também um clipe do Batman dos anos 60, com direito a bat-helicóptero, bat-escada e até bat-repelente de tubarões, que faz a gente rir por mais tempo do que um baião fica na cabeça. Como você já deve ter visto o hunky Edward no trailer do filme Twilight, escolha o seu morcego do bônus: o sexy Lestat ou o goofy Batman. Os dois valem a pena – mesmo que por motivos bem diferentes…

Página inicial do fã-clube

5 Respostas to “60o. post – MC de 20 de julho de 2008”

  1. Ro :-) às 11:04 #

    M.A. eu estava louca pela atualização só para comentar sobre o D.M.

    Definitivamente eu não faço parte do time da Mainardetes mas diante da frase de justificativa para a camisa amassada, “o meu molequinho estava dormindo em cima de mim”, é impossível não ter alguma simpatia pela criatura.
    Beijo,

  2. Renata :-) às 19:34 #

    Marcos,

    Voltando dos EUA esta semana encontrei uma revista Dufry com um artigo ótimo escrito pelo Lucas Mendes, falando sobre as mudanças em NYC desde a década de 60. Muito bem escrito. Recomendo para quem quiser fuçar na internet, deve encontrar o link.

    Abraços a todos

    Renata

  3. Marcos :-) às 20:46 #

    Renata, que eu saiba a Dufry não disponibiliza seu conteúdo na internet. Mas eu já sabia deste texto do Lucas e estou esperando eles me mandarem o arquivo para eu publicar no fã-clube, da mesma forma que eles me mandaram e eu publiquei a matéria com o “gatão” Ricardo, lembra? Assim que estiver disponível eu coloco aqui.

    Marcos

  4. Liliane de Paula Martins :-) às 11:26 #

    Marcos, vc e sua observações frequente qto as gravatas.Já tentei até me ligar nisso. Eu até olho, mas, não entendo nada.
    Por que o Diogo foi para NY? Já peguei o programa começado e não deu para vê se tinha algum motivo. Nem vi camisa amassada. Parece que eu não vejo nada. Só escuto.
    Liliane

  5. Marcos :-) às 12:11 #

    Liliane, o Diogo deve estar de férias, pois disse que foi a NYC com a família toda. A camisa amassada não deu para perceber no vídeo, mas como Lucas comentou no ar, não quis deixar passar a referência para fazer uma brincadeira…

    Marcos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s