88o. post – MC de 1 de março de 2009

2 mar

6 

 A Avant-garde Connection faz 16 anos e os debutantes são discretos na festa – mas não economizam palavras para falar do futuro econômico dos Estados Unidos. Obama é louco e suas cartadas são arriscadíssimas pois contam com previsões surrealistas de receitas que não virão e de cortes que não vão acontecer. Ricardo Amorim deu mais uma aula de economia, e Diogo Mainardi revelou que além de entender de música clássica também tem um pezinho na Escola Austríaca. Enquanto isso, Caio indica as colunas de Paul Krugman (veja no blog The conscience of a liberal), e Lucas Mendes relembra Nikolai Kontradieff, ou Kontradiev, que não teve tanta sorte quanto seus discípulos e levou um téco do Stalin. 

No segundo bloco o assunto é Hillary Clinton, a porta-estandarte da diplomacia americana. Com o pé da estrada, a madame dispensa apresentações e vai acumular muitas milhas vendendo o pacote do Obama. Os iranianos estão enrolando e o plano para a américa latina vai acabar em cuba libre – enquanto o México derrete e o jogo Afe-Paq continua explosivo.

Ainda no déjà vu, os americanos seguem em marcha: seja à ré ou para a frente, todo mundo quer se mudar e o destino é o oeste. Denver é um sonho que não tem o caos da metrópole nem a pasmaceira do subúrbio – porém New York continua sendo a preferida dos jovens. Ricardo conta que a cidade continua linda apesar de muito deprimida – mas Diogo vai continuar morando entre Ipanema e Leblon, e Lucas fala de suas mudanças na coluna Bye Bye, Nova York. O jornal Rocky Mountain News fechou – mas o Brasil continua na imprensa com o garoto sequestrado e com os gêmeos de Cândido Godói no The New York Times.

Depois do intervalo e de alguns minutos necessários para recuperar o fôlego depois de ver o Pedro Andrade dançando salsa e hip-hop, a conexão cinematográfica da semana é com o site Big Hollywood, de Andrew Breibart – que aposta na cultura popular e que já trafegou pelo Drudge Report e pelo Huffington Post. Com um governo liberal, Hollywood está mais forte – mas um filme não tem o mesmo poder de um discurso para conquistar corações e mentes. Lucas lembrou de Ronald Reagan e Caio invocou os fortões Sylvester Stallone e Arnold Schwarzenegger, enquanto Diogo, que ainda vai agradecer por viver na mesma época que Barack Obama, falou de Clint Eastwood – que é venerado na França como Jerry Lewis. 
 
Parabéns aos manhattans pelos 16 anos de programa. E até a semana que vem, com o melhor time político, econômico e chutador da TV brasileira.
Momento ManhaTIE Connection: a gravata azul com listras claras do Ricardo Amorim estava perfeita – e a vermelha com listrinhas brancas do Lucas estava boa também. Já a gravata com estampa de tigrinho do Caio pode até ser um sucesso de vendas da New Jersey Collection – mas eu acho difícil combiná-la com alguma coisa. Pódio da semana: medalha de ouro para o Ricardo, de prata para o Lucas e de bronze para o tigre de New Jersey.
 
E já que estamos falando em aparência: na cena final do programa desta semana deu para ver o novo visual da Angélica, com o cabelo cortado curtinho. Acho que ela ficou mais jovem ainda… Qualquer semelhança com Benjamin Button será mera coincidência?
 
Fórum da semana: qual é a melhor cidade brasileira para morar? Caio escolheu Higienópolis, Diogo vai se mudar para Rio Branco e Lucas para Brumadinho. E Ricardo vai tomar banho de mar em Fernando de Noronha.
 
Vinhetas da semana: 1 – The orchid show: Brazilian modern, de Raymond Jungles no The New York Botanical Garden. Música: Sweet sixteen, com Kate Earl. 2 – Exposição Fish-Work, de Corey Arnold na Sara Tecchia Gallery. Música: Happy birthday variations: ragtime, com Kremerata Baltica Chamber Orchestra. 3 – (Reportagem breathtaking de Pedro Andrade) – Broadway Dance Center. 4 – (Boa noite) – Filme: Ghost town. Local: Metropolitian Museum of Art. Música: The heart of life, com John Mayer.
 
Bônus da semana: o último bloco foi super cinematográfico, e entre tantos nomes citados não seria difícil achar alguma referência para um vídeo a ser usado como bônus desta semana. Mas como eu sempre puxo a brasa para a minha sardinha – neste caso, para o meu cineasta favorito – vou colocar aqui o vídeo da sequência mais bem dirigida em toda a história do cinema: a de Keith Carradine e Lily Tomlyn no filme Nashville, de Robert Altman.
  
  
AVISO: a área de mídia do fã-clube do Manhattan Connection foi atualizada com:
– Lucas Mendes – lições de um mestre de jornalismo – entrevista de Lucas
Mendes ao programa FrenteVerso da rádio Inconfidência
Ricardo Amorim – conexão NY e SP – matéria de Tania Menai
 

8 Respostas to “88o. post – MC de 1 de março de 2009”

  1. Cláudia :-) às 13:48 #

    Volta Lúcia… Please.
    Puseram um moço que dança de camiseta regata no seu lugar!
    Camiseta regata não dá. Não dá messsss…rs
    Bjo

  2. Marcos :-) às 13:54 #

    Oi Cláudia, concordo que o Pedro fica bem melhor sem camiseta regata (ou sem camiseta alguma) – mas vai dizer que você não ficou com vontade de dar uns passinhos de hip-hop vendo a matéria dele???

    :-)

  3. fabianne :-) às 14:45 #

    Ai Claudia; queria que o Pedro malhasse de terno? Onde ja se viu?
    O rapaz da uma aliviada no programa. Vamos manter a mente aberta.
    Acho ele um barato! Divertido, bonito e esperto! O Manhattan estava precisando de um tom mais jovem. Estava ficando devagar quase parando com a Lucia.
    E concordo com o Marcos, fiquei com a maior vontade de bailar depois do programa! rsrs.
    Estou AMANDO!
    Bjos!
    Fa

  4. Cláudia :-) às 16:05 #

    Marcos
    Confesso que não fiquei com vontade de dançar hip-hop.
    Mais um pouco e viraria Dançando com as estrelas…rs.
    Brincadeirinha. Ele tem ginga.

    Fabiane
    Minha mente é abertíssima.
    Achar camiseta regata pra homem um horror é prova disso.
    Nem em academia deveria ser permitido!
    Aqueles pelos das axilas misturados a suor…. creeeeedo.
    Creeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeedoooooooooooooooo!

  5. Marcos :-) às 16:41 #

    Ah, eu uso regata para malhar e acho ótimo. Mas é claro que tenho o bom-senso de sempre passar uma máquina para manter os pelos aparadinhos. Mas isso sou eu, um simples mortal.

    Já o Ricardo ou o Pedro podem usar regata, terno, macacão ou saco de estopa que sempre vão estar perfeitos. E o Diogo, convenhamos, passeando de ragatinha azul por Ipanema também não deve ficar nada feio…

  6. claudia :-) às 20:35 #

    hahahahaha….
    Diogo de regata?
    Quero ver isso um dia. :0)

  7. Renata :-) às 23:46 #

    Concordo com a Claudia. Regata aliás, nao deveria existir pra nenhum homem da face da Terra, muito menos para Pedro, Ricardo e Diogo.
    Aliás, o Diogo poderia cortar o cabelo, o que vocês acham? As madeixas estão cada dia mais rebeldes (ou é pra ficar em sintonia com ele?).

    Abraços a todos!!

  8. Thaynara :-) às 8:18 #

    Brinquem com a mente dos leitores desse blog, mas não me façam imaginar o Mainardi de regata, pelamordedeus!
    E o Pedro está sempre nota dez, independente de gravata ou regata. Concordo com a Fabianne. Era dele que o Manhattan precisava!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s