106o. post – MC de 5 de julho de 2009

6 jul
Pedro Andrade Rio Bananas
 
As eminências pardas da Arco-íris Connection começaram o programa desta semana falando sobre Honduras, a mais banana das repúblicas. Os clichês estão de volta, e as elite tentam se livrar do fiasco do presidente farsante. Caio Blinder, que escreveu a coluna Os escorregões na república de bananas de Honduras, comentou a matéria Lousy president, terrible precedent da revista The Economist – e após uma discussão sobre o caudilhismo moderno o assunto foi parar no Aiatolá Kamenei, que botou as manguinhas de fora, tem um filho barra pesadíssima e obrigou 70 milhões de iranianos a escorregar na fruta. Para terminar o bloco, Lucas falou sobre a FLIP e indicou o site Flip.org e o blog ecarvalho.typepad.com.
 
A seguir, Simon Schama não decepcionou com suas sacadas no livro The American future: a history from the founding fathers to Barack Obama (leia trechos aqui). O título sobre o futuro pode ser enganador, mas Schama é uma celebridade intelectual – que tem também um sedutor sotaque britânico você pode conferir neste trecho do documentário que ele fez para a BBC. Os manhattans falaram também sobre Alexis de Tocqueville (site compreensivo aqui) e sobre a graça simbólica de Al Franken – que foi assunto da coluna Comédia no Senado, de Lucas Mendes.
 
No terceiro bloco ninguém precisou de um alto QI para saber que falar sobre raça dá diploma de polêmica. No livro Intelligence and how to get it: why schools and cultures count, Richard Nisbett diz que o sucesso está na ética e não na raça – que aliás não existe, e basta estudar para sair bem na foto. Para encerrar, Caio explicou o caso dos bombeiros brancos em cerca de um minuto – e se você não entendeu, pode ler a coluna compreensiva dele sobre o assunto clicando no título: Os efeitos negativos da discriminação positiva.
 
No bloco final, Woody Allen está de volta a New York com o filme Whatever works (site oficial com trailer aqui). O cineasta não conteve seu entusiasmo e chamou Larry David para fazer o papel de Woody Allen em uma história que já foi contada várias vezes por ele mesmo. A produção apoia a ação afirmativa e tem quotas para judeus neuróticos e mulheres com idade para serem suas netas – mas parece que o gênio está cansado. Fiquei surpreso com a opinião do Pedro e dos outros manhattans de que o filme não funciona – pois eu gosto do Larry David e achei que Whatever works seria um grande episódio de Seinfeld mesclado com Curb your enthusiasm. Pelo jeito, Woody Allen não soube aproveitar este apelo – mas eu vou assistir assim mesmo, nem que seja apenas pela presença de Evan Rachel Wood, a minha atriz preferida.
 
E agora vamos para um momento de nostalgia: você tem saudades de Lúcia Guimarães? Então assista ao vídeo com o trecho de um debate promovido pelo New York Times sobre jazz e música brasileira em que uma das participantes é Gal Costa – com Lúcia Guimarães como intérprete. Quem me mandou o link foi o Lucas Colombo, do site mínimo múltiplo – que também fez um ótimo post em seu blog sobre José Sarney e Paulo Francis… Dá uma olhada no vídeo com a Lúcia aqui, e no post do Lucas aqui.
 
Ah, e aproveite que você está surfando na internet e pegue uma onda com o Pedro Andrade, que passou uns dias em terras tupiniquins e foi fotografado em uma sessão de work-out na praia. As fotos imperdíveis tiradas no Rio de Janeiro estão no blog Made in Brazil aqui.
 
E um RECADO ESPECIAL para os usuários do Facebook: Quem é você no Manhattan Connection? Descubra fazendo este teste aqui :-)
 
Momento ManhaTIE Connection: gostei da gravata super moderna e jovial do Lucas, com listras azuis e lilás. A do Caio, com quadradinhos, também estava bem elegante – e a do Ricardo, de um cinza prateado, estava ótima. Pedro usou uma gravata preta simples e chique, e levou o troféu Everything works (for me). No pódio, a medalha de ouro ficou com o Lucas, a de prata com o Ricardo e a de bronze com o tigre de New Jersey.
 
Vinhetas da semana & Fórum da semana: informações não disponibilizadas pelo canal GNT :-|
 
Bônus da semana: já que o Lucas falou que Michael Jackson foi o melhor dançarino desde Fred Astaire, eu não poderia deixar de aproveitar esta conexão e colocar aqui no bônus um ótimo clipe que junta as duas feras: Astaire dançando ao som de MJ.
 
 

Uma resposta to “106o. post – MC de 5 de julho de 2009”

  1. Beatriz Maria :-) às 16:23 #

    Assisto sempre o programa de vcs. Quero saber dicas do que fazer em 5 dias em N Y, em setembro, como shows, restaurantes, museus, ballet no Lincol center, compras baratas… enfim dicas que nào estào nos livros, mas sim de quem mora em NY. O Pedro faz bastante sugestões que eu gosto, mas agora quero mais direcionadas para setembro, porque pode ter coisas especiais acontecendo. Inclusive uma dica de hotel bom e barato em Manahatan, caf’é da manhà, brunch no domingo, etc. Já conheço os pontos mais turisticos, entao seria algo dem quem nào é a primeira vez. Parabéns pela atualidade do programa.Ah um bom lugar para tomar um capuccino à tarde.
    Thanks.

    Beatriz

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s