122º post – MC de 13 de dezembro 2009

14 dez

Os comissários da Conexão 816 pousaram nas Filipinas, o país da tragicomédia pronta onde o cangaço virou contra os cangaceiros. A crise permanente não é culpa da sogra do Caio – pois o governo é uma m… Os nomes são estranhos, a classe política é ridícula e o massacre é terrível – e a economia é um gatinho se afogando. Caio começou e Diogo terminou de contar a história, e Lucas mudou o assunto para a maldita conferência que teve a presença do séquito do império de Garanhuns. É claro que Lula não salvou o planeta – e gás carbônico até que faz bem. E enquanto a ilha de Tonga da Mironga afundou, Diogo Mainardi escreveu a coluna Eu e o urso canibal.

No segundo bloco, o chato mas educacional telejornal das 7 da pobrezinha PBS evoluiu para sua quinta versão pois o dinossauro Jim Leher quer ser ágil como uma lebre da internet. Lucas escreveu sobre Leher e Baba Wawa em sua coluna O pique dos dinossauros – mas o venerável Caio Blinder, um broto que não fala sobre dinheiro e sexo não leu e preferiu ouvir a NPR e assistir a mais um capítulo da soap opera As the world turns antes que ela acabe depois de 56 anos no ar. Na Espanha, José Zapatero publicou o artigo El hombre que asombra al mundo, no Rio de Janeiro a CNBC fez reportagens especiais sobre o Brasil e no intervalo do Manhattan Connection ouvimos um trecho de O cheiro da xereca – uma das músicas da ópera Tamanduá, tema da coluna de Lucas Mendes da semana passada.

A seguir, a Playboy não sobe nem com Viagra. A revista lançada por Hugh Heffener em 1953 foi sucesso propondo uma revolução bem comportada. Havia espaço porque havia frustração – e a sacada do livro Playboy and the making of the good life in modern America, de Elizabeth Fraterrigo (trecho aqui) incomodou feministas e moralistas. A marca é fortíssima – mas a revista ficou velha e precisa se reinventar. Diogo só lê a crônica do Ivan Lessa – mas será que ele não deu nem uma olhadinha nas fotos da Fernanda Young na edição de novembro?

O programa terminou com o voo do filme Up in the air, uma sátira social apropriada de Jason Reitman, um menino de 32 anos de idade que contratou George Clooney para ser um afável profissional que circula pelo país demitindo funcionários. Nem tudo na vida está no ar, mas Pedro Andrade fez uma conexão interessante entre Clooney e Cary Grant. Eu prefiro Grant – pois há uns 5 anos escrevi para um site um artigo sobre ele chamado O galã gay de Hollywood que circulou e rendeu muitos comentários na internet. Já faz tempo e o texto não está mais na web – mas quem quiser pode ver um artigo que fiz no ano passado sobre quatro galãs gays da era de ouro do cinema (Cary Grant entre eles) aqui. Ah, e voltando a Up in the air – ainda não vi, mas espero que seja tão bom quanto Thank you for smoking. Pelo menos a trilha sonora é bem interessante, e pode ser ouvida no site oficial do filme aqui.

Gostei da campanha de desobediência civil lançada pelo Caio: não fale
palavrões. Eu já aderi, pois nunca falo palavrões. Às vezes penso. Mas não falo.

Momento ManhaTIE Connection: apenas três manhattans estavam engravatados, então cada um vai ganhar um prêmio de um filme do Jason Reitman. Caio usou sua gravata YSL super elegante e charmosa, e levou o troféu Thank you for smoking. Pedro, o galã de gravata cinza com xadrez, ganhou a medalha Up in the air. Ricardo usou uma gravata vermelha com listras estranhas e ficou com a menção honrosa Juno – algo interessante mas que poderia ser bem melhor.

 Momento My so-called life:

That people had sex. That they just had it. That sex was this thing people had. Like a rash, or a rottweiler.

Angela

Bônus da semana: pensaram que eu iria colocar o vídeo de O cheiro da xereca aqui no bônus? Como o Caio e o Diogo, eu também não gosto de palavrões – então quem quiser ver este vídeo vai ter que assistí-lo no site da ópera Tamanduá acessando o link na coluna do Lucas. Já que um dos assuntos do MC foi a Playboy, eu não poderia deixar de aproveitar a conexão com Marilyn Monroe – e como o Pedro falou de North by northwest, fica aqui um vídeo de Marilyn cantando I wanna be loved by you acompanhada por Jack Lemon e Tony Curtis (in drag!) no filme Some like it hot, a melhor comédia de todos os tempos (para quem não sacou a conexão: ambos os filmes foram lançados no mesmo ano: 1959).

AVISOS:

– A área de mídia do fã-clube do Manhattan Connection foi atualizada com uma entrevista de Ricardo Amorim para a revista Exame em outubro de 2008 prevendo a alta da bolsa durante o ano de 2009.

– Edições completas do Manhattan Connection estão disponíveis no site da Globo. Os programas são colocados com delay de uma semana, mas é uma boa opção para quem curte o MC e não pode assistir à transmissão no GNT ou na Globo Internacional. Para ir direto ao site que contém os vídeos em ordem cronológica, utilize o link “Arquivo com trechos do MC, matérias do Pedro Andrade e programas completos” na área de mídia do fã-clube do Manhattan Connection aqui.

Página inicial do fã-clube do Manhattan Connection

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s