133º post – MC de 28 de fevereiro de 2010

1 mar

 

Em 17 anos de pasquinadas na Conexão, perdemos Paulo Francis, Nelson Motta, Arnaldo Jabor e Lúcia Guimarães – e ganhamos Diogo Mainardi, Ricardo Amorim e Pedro Andrade. Em quase duas décadas o padrão de beleza do Manhattan Connection aumentou – mas os problemas (e os nomes) continuam parecidos. Hillary Clinton está em tempos de paz com o presidente – e é mais popular que ele. No jogo de good cop/bad cop ela é uma celebridade global com o problema da herança maldita. Enquanto isso, nos Estados Unidos a canoa está furada e em Cuba o Lula já era – e na relíquia colonial das Ilhas Malvinas os seus 2.500 habitantes (e o 1.000.000 de pinguins) não querem ser argentinos. Relembrando a primeira edição do MC em 1993, o assunto foi a preocupação com as seitas religiosas e o atentado às torres gêmeas. Será que mais alguém também lembrou de Il gattopardo, do Luchino Visconti?

O segundo bloco foi dedicado aos portugueses. A Portugal se aporcalhou – e o Sócrates de Lisboa filosofa que dias melhores virão. Na Europa estão todos no mesmo chiqueiro, mas pelo menos a Portugal é um porquinho e não um porcão – e a país investe em educação e pesquisa científica. Lucas Mendes perguntou se a porcaria tem fabricação americana, e o gênio Ricardo Amorim explicou com brevidade: aprender a mudar de ideia é uma sabedoria. Afinal, os Estados Unidos serão os porcos do futuro – pois uma semana muda a história da humanidade.

A seguir, se você acha que sua vida não é interessante, você está enganado. Com a ajuda de um astronauta, a CBS lançou um projeto ambicioso. A narrativa é bem montada – mas a lógica é a do Big Brother. A história do Obama é legalzinha, e Ricardo Amorim, que escapou do tiroteio, disse que não há má história: apenas maus contadores de histórias. Lucas Mendes concordou – e escreveu a coluna Histórias escolhidas a dedo. Brasil na imprensa: A revista The Economist dá uma dica para os políticos corruptos brasileiros na matéria The money trail.

Para terminar, domingo que vem tem Oscar – e vai ser dos grandes. Somente o filme de Kathryn Bigelow pode explodir as expectativas de James Cameron, e a improvável Sandra Bullock vai provar que todo sonho é possível. Colin Firth merece – mas quem vai levar o Oscar de melhor ator será Jeff Bridges, pela mesma história de redenção já contada tantas outras vezes. Os bastardos inglórios da Conexão fizeram suas apostas no bolão, e Lucas Mendes relembrou Il, ou melhor, El mariachi (o ato falho tem a ver com Il gattopardo?). Depois dele, Robert Rodriguez só fez joça – mas eu confesso que gostei de The faculty e de Sin city, dois filminhos comerciais bem melhores que qualquer Avatar.

O melhor: O bloc-berry do Caio Blinder. O pior: Não termos mais Paulo
Francis no MC. Fórum da semana: Quem conta a melhor história: James Cameron, Robert Rodriguez ou o finlandês?

Vídeo da semana: That’s it, I quit, I’m movin’ on, com Adele.

Página inicial do fã-clube do Manhattan Connection

Uma resposta to “133º post – MC de 28 de fevereiro de 2010”

  1. Priscila Velho :-) às 14:22 #

    A produtora AEON AUDIOVISUAL de Porto Alegre-RS/Brasil, está lançando através do blog da cia. o episódio piloto do “Republiqueta”, uma produção independente feita diretamente para internet com download gratuito.

    “Republiqueta” é um curta-metragem de animação protagonizado pelo Presidente da República.

    Assista no link abaixo:
    http://blog.aeonav.com

    No You Tube em duas partes:

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s