148º post – MC de 12 de setembro de 2010

13 set

Ao Alá dará, a Ponte Aérea Connection começou colocando lenha na fogueira do 11 de setembro. Em 2008 outro maluco botou fogo no Corão, mas só desta vez a bola de neve – ou de fogo – dominou o noticiário e uniu o país. Barack Obama também meteu lenha, Caio Blinder fez o podcast Pastor Terry Jones vive momentos de fama e Lucas Mendes escreveu a coluna Fogos de setembro. Falando em coluna: a nova do Caio estreou no site da Veja (link aqui) e nela ele pode escrever sem ser interrompido – ao contrário do Imã, que é uma boa pessoa mas não tem jogo de cintura, fala pelos cotovelos e não diz nada. E enquanto o Lula não tem problema com assassinatos de mulheres no Irã, o Paquistão esfarelou e afunda ainda mais fundo: entre calamidades naturais e desastres políticos, o país espera a ajuda de Angelina Jolie para sua torrente de problemas.

No segundo bloco, a bolha rachou a fundação da casa própria dos americanos, alugados durante décadas com o sonho que virou pesadelo. Ricardo Amorim explicou por que a bolha no Brasil só poderá acontecer em um futuro bastante distante, e Caio Blinder, que não está debaixo d´água, falou sobre o estigma cultural do subúrbio. E como já passou da hora da terapia de choque, finalmente saiu alguma coisa na imprensa internacional sobre as eleições no Brasil: as matérias Under a lucky star, da The Economist, e Probe hits ahead of Brazil elections, do The Wall Street Journal.

A seguir, os manhattans receberam o convidado Laudálio Veiga Filho, organizador do Futurecom que gosta de dizer que o Brasil caminha mas não anda. Na visão da floresta, estamos bem, médio ou mal? Bem – mas com um longo caminho a percorrer. 

A edição desta semana encerrou com The American, um xarope que mostra George Clooney chegando na Itália por caminhos tortuosos e se envolvendo com uma bela rapariga. As lindas montanhas de Abruzzo ficam na Suécia e o filme não arrebentou a boca do balão – e até o Lucas, que gosta de filmes em que não acontece nada, sentiu falta de um nu frontal de Clooney. Na hora do cinema, Pedro Andrade mais uma vez deu uma de DJ falando sobre o diretor Anton Corbijn, e o bloco terminou com a Ponte Aérea Connection da MTV.

O melhor: o GNT não ter substituído a reprise do Manhattan Connection por um documentário sobre o clitóris, como fez na semana passada. O pior: lembrar que o Brasil só vai avançar quando tiver um governo sério e empreendedor – ou seja: nunca. Fórum da semana: como vai ser o nome em português do filme The American? a) Um assassino da pesada. b) Uma prostituta da pesada. c) Amor sem escalas 2.

2 Respostas to “148º post – MC de 12 de setembro de 2010”

  1. Elliot :-) às 11:27 #

    O belo Pedro Andrade e seu papel no Manhattan Connection.http://mixturebatrop.blogspot.com/

  2. Raquel Salowickz :-) às 18:33 #

    O papel do belo Pedro Andrade no Manhattan Connection é permitir que a gente tenha onde repousar os olhos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s