164º post – MC de 6 de fevereiro de 2011

7 fev

A galope e a chicotadas, a revolução passou pela praça. O mundo árabe chegou tarde, e o Egito vai terminar no Brasil – um bom exemplo onde a praça derrubou a ditadura e acabou em 5 anos de José Sarney. Diogo Mainardi, roubando o brilhante raciocínio do Caio Blinder, deu uma volta de camelo pelo palácio e diferenciou revolução de revolta. Ricardo Mandarim Amorim explicou por que não há prosperidade na China, e se até os jornalistas da Al Jazeera merecem levar um téco, Com muito ceticismo (e um pouco de esperança) no Egito a melhor saída é um milico.

No segundo bloco, só a Yoko Ono conseguiu sair do Japão, um país estagnado que amarra os jovens sem motivação. A vitória dos velhos é a derrota do país e o haraquiri de uma geração. Em resumo: os jovens estão em trânsito, engarrafados e em chamas. Enquanto isso, o velho mundo também pertence aos velhos – que vivem mais e têm tanta saúde que nem precisam de um termômetro quebrado como o da bolsa. Brasil na imprensa: xô com esta gente!

A seguir, a cerimônia de entrega do Oscar será em 3 semanas e The fighter concorre a 7 estatuetas. Com título em português de O vencedor pero no mucho, o filme baseado em fatos reais fala de gente que vai para a lona e se levanta, e só vai perder quem não o assistir. Eu ainda não vi, pois tenho receio que seja mais um Touro enraivecido. Aliás, tudo bem que Robert de Niro não passe de um Focker, mas o Scorsese também nunca me pareceu interessante e não entendo por que todo mundo gosta tanto dele. Estou com o Caio Blinder: viva o Stallone!

O melhor guia de New York ultimamente também esteve guiando por São Paulo e pelo Rio de Janeiro. No Rio ele foi à praia tirar mais uma shirtless pic para o Facebook, e em São Paulo foi à semana de moda e apareceu nos sites das revistas Veja São PauloRG Alfa – que, por sinal, foram escritos por jornalistas que merecem apanhar. Na RG escreveram confort food, assim com “n” mesmo, e na Alfa escreveram que Pedro estava de terno – mesmo com a foto mostrando o rapaz de corpo inteiro vestindo calça jeans, camisa e paletó. O Diogo tem total razão quando diz que não entende quem escreve de graça na internet, mas eu não entendo quem recebe um salário para escrever coisas erradas assim. Eu escrevo de graça mas pelo menos não cometo tantos erros ;-)

4 Respostas to “164º post – MC de 6 de fevereiro de 2011”

  1. Gustavo :-) às 9:27 #

    Amigos e amigas,
    desde que mudou do GNT para Globo News, não sei mais onde encontrar os nomes das músicas que tocam nos sets antes dos comerciais. Aqueles sets que mostram algo tipo restaurantes, bares, museus etc. Alguém pode me ajudar. Ontem, dia 06, tiveram músicas bem legais que quero procurar mas não sei quem cantou etc. Abs

  2. Marcos Alexandre :-) às 9:41 #

    Gustavo, veja os nomes nos créditos finais do programa.

  3. Gustavo :-) às 10:58 #

    Infelizmente não apareceram nos créditos as músicas do programa. A música em questão é a que toca de fundo na matéria do Pedro Andrade sobre a exposição de Ezra Stoller expõe na Yossi Milo Gallery. Não sei quem canta e nem o nome da música. Alguém sabe?????

  4. Marcos Alexandre :-) às 13:01 #

    É verdade, eu achei que tinham aparecido os créditos… :-|

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s