184º post – MC de 11 de setembro de 2011

12 set

Ao vivo e quase à meia-noite o fantasma do Osama não tinha aparecido – mas o sensitivo Diogo Mainardi sentiu vibrações Al-Qaedianas. Essa porcaria ainda existe, mas já dançou: nós estamos cheios do tema e exorcisamos o trauma. Caio Blinder, o herói banal, não tem medo de cuecas-bomba e segue a vida sem neura – mas em 2001 errou feio pois estava dormindo numa nice. Diogo tentou voltar 500 anos em uma síntese histórica, mas a Angélica nos trouxe de volta para este 11 de setembro em um país onde o Bush e o Osama – ou melhor, o Obama – não podem estar unidos.

Há 10 anos os terroristas não estavam no pão de cada dia – mas a moça Robin Wright previu as revoltas (livros dela aqui). Hoje a primavera árabe que floresce no Egito é preocupante – mas pode melhorar. Enquanto isso, Ricardo Amorim espera que a Líbia evolua em direção ao sistema democrático, Diogo mede distâncias em cuspe e Caio escreve sobre as teorias da conspiração bizarras

No terceiro bloco os manhattans falaram sobre a imponente e desafiadora torre construída em solo sagrado e escutaram a história do Pedro Andrade, que ouviu o furdunço no dia 11 de setembro de 2001 e no dia 12 viveu o dia mais surreal da sua vida. E se o antigo complexo era distanciado da vida urbana, pelo menos a nova torre vai ser o prédio mais alto e resistente dos Estados Unidos e estará mais em equilíbrio com o dia-a-dia da cidade. Antes do final do bloco, Diogo ainda fez valer o investimento da Globo News dando uma aula sobre arquitetura e outra sobre a guerra de Canudos.

O programa ao vivo foi interessante e por muitas vezes divertido (e até revimos o Paulo Francis!), mas o assunto é pesado e a grande fotografia do World Trade Center explodindo atrás do Diogo me incomodou. Por que não colocaram uma imagem pacífica, ou pelo menos algo que representasse o povo americano unido após a tragédia? Realmente a imagem escolhida foi de mau gosto. Além disso, o Ricardo deveria ter ido a New York também, pois ficou bem deslocado da discussão – e o Pedro poderia ter ficado na bancada desde o primeiro bloco, já que ao que parece foi o único dos manhattans a participar da limpeza dos escombros e a ter uma visão diferente, não-jornalística dos atentados. 

Fã-clube do Manhattan Connection

4 Respostas to “184º post – MC de 11 de setembro de 2011”

  1. Elizabeth Valente :-) às 10:28 #

    Amo o programa…… o de ontem foi ótimo com o Diogo presente.
    Só uma observação: Até que enfim que o queridíssimo Pedro dá dicas de lugares e shows. Não aguentava mais galerias…..e mais galerias. NY é uma paixão e tem tantas coisas e lugares ótimos para mostrar. Boa semana pata todos

  2. Heloisa :-) às 23:12 #

    oi Marcos,
    quando aos paineis de ontem, nao sei se vc reparou na outra foto, as 2 colunas de luz no lugar do predio. No meu ver a ideia era mostrar 2001 as torres explodindo e 2011 com as luzes que eh a nossa visao atual. A ideia era boa passado e presente, talvez por estar em segundo plano nao deu para notar.
    O blog continua otimo, um abraco

  3. Marcos Alexandre :-) às 12:11 #

    Oi Heloisa, vi o painel atrás do Lucas só na reprise. Na primeira vez só vi a foto da explosão. A ideia, depois que você explicou, parece boa – mas a primeira impressão foi ruim mesmo.

  4. Pedro Barros :-) às 23:45 #

    Foi o programa dos penteados, estava dificil saber quem tinha
    O cabelo mais estranho: Diogo ou Ricardo. Nem as imagens dos
    Programas antigos causavam tanto espanto perto dos dois.
    Ninguem da producao deu um toque para eles?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s