189º post – MC de 16 de outubro de 2011

17 out

Os iletrados da Conexão Infernal começaram dando um banho de sangue na matança nossa de cada dia. Não somos anjos, mas as esquinas do mundo estão mais pacíficas, seguras e civilizadas. No livro The better angels of our nature: why violence has declined (trecho aqui), o atrocitólogo Steven Pinker atirou com uma bazuca de estatísticas e bebeu nas fontes filosóficas clássicas. Como assim, ô Steven? A história não é linear – mas a trajetória é positiva e ele tem total razão. Quanto ao restante do bloco, ninguém tem razão mas os manhattans chegaram a algumas conclusões: o Irã tem culpa no cartório, nunca (jamais!) se pode acreditar no governo e a imprensa nunca mente. Ah, e o Kadafi vai ser morto nesta semana.

No segundo bloco o MC recebeu o convidado Robert Henry Moser, magrelo capoeirista da nova geração de brasilianistas com enfoque cultural. É dele o livro Luso-American literature: writings by Portuguese-speaking in North America (trecho aqui), que tenta fazer uma conexão com os brazucas que não conseguem transmitir e-mails nem sentimentos profundos. Outro livro que ele escreveu durante as greves da USP foi The carnivalesque defunto: death and the dead in modern Brazilian literature (trecho aqui).

Depois de três livros indicados em dois blocos, achei que a conexão literária havia acabado – mas não tive total razão e as dicas de livros continuaram. A seguinte foi Life itself: a memoir (trecho aqui), de Roger Ébert, homem de jornal, TV e blog que vive para o cinema e foi tema desta coluna de Lucas Mendes. Ébert tem mais audiência – e provavelmente mais polegares – que a criatura do Frankenstein e, muito a contragosto, criou uma lista em ordem alfabética de 10 melhores filmes. Já faz tempo que sou um leitor do Ébert, mas somente depois de assistir aos filmes, pois como praticamente todos os críticos ele costuma revelar surpresas do enredo em seus textos e isso não é bom. Na verdade, o melhor são as curiosidades da produção que ele conta e as comparações que ele faz com outros filmes, o que para mim sempre resulta em dicas interessantes. Falando em dicas, Pedro Andrade e Caio Blinder indicaram a série Homeland, que quando começou eu nem pensei em ver por achar que era apenas mais uma história de guerra. Parece a trama é melhor que isso, então já peguei os 3 primeiros episódios para dar uma olhada. Na semana que vem eu mostrarei o polegar para cima ou para baixo – ou na posição mineira. A última dica de livro foi Os Chicos, de Gustavo Nolasco e Leo Drumond.

Fã-clube do Manhattan Connection

2 Respostas to “189º post – MC de 16 de outubro de 2011”

  1. Joao :-) às 12:27 #

    Gosto muito do blog. Adoro o Manhattan. Sou fã do Diogo.
    Parabéns, pelo resumo.

  2. Rafael Ramires de Almeida :-) às 20:23 #

    Diogo previu que Kadafi seria morto. Eu vi o programa no qual ele profetizou o acontecimento. Hoje, dia 20, assim que soube da morte de Kadafi, cheguei até ficar arrepiado! O cara é um Nostradamus! Já admirava o trabalho do Diogo, mas agora admiro ainda mais. Parabéns!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s